sexta-feira, 3 de outubro de 2014

Amamentação - Mamãe e bebê se conhecem

Nos filmes, os carros não se espatifam depois de voar de uma ponte, a mocinha sempre acorda penteada e linda pela manhã, as mulheres engordam apenas a barriga quando estão grávidas, parto é fácil e não cansa... E, quando estas mães cinematográficas recebem seu primogênito nos braços, colocam o bebê para mamar e, enquanto o bebê mama, sorriem felizes e orgulhosas.

Se o seu carro não espatifa ao voar de pontes e se você acorda sempre com o cabelo perfeito, parabéns! No seu caso, o início da amamentação tem chance de ser lindo como um conto de fadas.
Mas, se você faz parte do grupo da Humanidade que acorda amassada e descabelada, provavelmente vai amamentar como uma pessoa normal... Ou seja, com as dificuldades normais de uma pessoa normal.
Imagine: há uma tarefa a ser executada pela primeira vez. Você recebeu múltiplas instruções, mas a maior parte delas é conflitante. A tarefa deve ser realizada em dupla, mas o seu parceiro não fala a sua língua e também nunca fez isso antes. Qual a chance dessa tarefa ser executada a contento? Pois é. Amamentar, no começo, é bem isso: dois principiantes tentando descobrir como se faz uma coisa que nenhum dos dois sabe fazer!
Problemas mais comuns:
1. O bebê só dorme, não mama. Solução (aplicável a bebês saudáveis): deixe dormir! Seu bebê está exausto de tantas novidades, precisa descansar. Além disso, os bebês nascem com uma "reserva alimentar" que pode mantê-los por mais de doze horas - é a Natureza dando tempo à mamãe de se recuperar do parto. Quando ele estiver com fome, vai acordar.
2. O bebê está sossegadamente dormindo e a mãe está examinando as mamas, espremendo o mamilo, se desesperando porque só sai uma microgota de leite. E quando o bebê acordar e quiser mamar, como vai ser?! “Oooohhhh, não tenho leite, ele vai morrer de fome, chame a enfermeira, traga a mamadeira, convoque a Guarda Nacional, bombeiros, fuzileiros, uma vaca leiteira!!!” E o bebê dormindo, sem a menor noção do pânico que sua simples presença está desencadeando. Acha que é brincadeira? Acontece muito! Bebê dormindo, mãe desesperada por conta do leite que nem faltou ainda, mas VAI faltar. Solução: caaaalma! Sabe quanto um bebê recebe por mamada, no primeiro dia de vida? 10 ml! Isso é uma colher de sopa de leite e sim, tem isso dentro da sua mama, com certeza!
3. O bebê não consegue pegar o seio. Ok, você e ele são principiantes, está lembrada? Começando do básico, você está bem acomodada, ou está torta feito um camelo, torcida por cima do bebê? Sente direito. Apoie as costas. Acomode o braço de um jeito confortável. Acomode o bebê de um jeito confortável. Qual é o jeito confortável? O que ficar confortável para vocês dois, é óbvio! Cada par mamãe-bebê tem a sua posição de conforto. Descubra a de vocês! Tire o excesso de coisas enroladas no bebê. Como você vai sentir seu filho com tudo isso no meio? Tire todos estes panos que estão entre vocês. Nada de pedaços de sutiã, fraldas, golas de tiptop. É pele com pele. Ajeite o bebê como se fosse encostar a barriga dele na sua barriga, e ele vai estar na posição certa para mamar. É fácil. É aconchegadinho, enroscado, gostoso. Lembre que ele vai tentar sugar tudo o que encostar na bochecha; então, em vez de ficar tentando colocar o mamilo na boca do bebê, só encoste o mamilo na bochecha dele. Ele vai virar direitinho! Deixe-o participar também, ele vai gostar!
Nesse item 3, há algumas subdivisões:
3.1. O bebê precisa estar ACORDADO para participar. Se está dormindo, repetindo, deixe dormir! Ele não vai morrer de fome.
3.2. Você está desconfortável, com dor, com sede, com fome? Resolva tudo isso antes. Amamentar é maravilhoso. Não transforme numa confusão desnecessária! Outra coisa: você TAMBÉM tem uma boa reserva, mamãe. Não precisa ficar tomando água enquanto amamenta! Concentre-se no bebê. Ele é importante. A garrafinha de água pode esperar.
3.3. Nem tente amamentar com a torcida do Flamengo assistindo! Isso é assunto seu e do seu bebê, não seu e de mais trinta pessoas! Tentar amamentar no horário de visitas é frustração certa, para não mencionar a fantástica quantidade de experts em amamentação que vão estar presentes, palpitando. Se fossem experts mesmo, fariam a coisa mais correta: sairiam do quarto e deixariam a mamãe tranquila com seu bebê. Repetindo: NEM TENTE! Não vai dar certo.
Aliás, se você tem condições financeiras, é uma excelente ideia investir em um quarto privativo. Se houver mais de uma mãe no mesmo quarto, você pode ter a sorte de ganhar uma vizinha sossegada com um bebê dorminhoco e quietinho. Mas vamos supor que a sua parceira de quarto decide discutir a relação com o marido (acontece); o seu bebê está tranquilo, mas o dela resolve fazer serão (acontece); ela não consegue dormir de luz acesa e você não consegue dormir de luz apagada (acontece); ela é amigona da torcida do Flamengo e o quarto enche de visitas que nem são suas... Preciso dizer mais alguma coisa?
Na verdade, mais uma vez estou falando demais aqui! Continuamos na quinzena que vem!

Eleonor Hertzog é mãe da Anelise, do Augusto e do Alexandre e é vovó coruja do Arthur. Pediatra, já atuou em uma Unidade Neonatal e em Unidades de Saúde. Atualmente atende em consultório e nas horas vagas é escritora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário