sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Naninha - Objeto de Transição

Se coloque no lugar do seu bebê. Um mundo novo onde a única pessoa com quem ele realmente se sente seguro é a mamãe, e essa por vezes toma um chá de sumiço, o que fazer?
Pois bem, é aí que entra a naninha, ou um cobertor, travesseiro, fraldinha, bicho de pelúcia, bico, música, alguma parte do corpo sua ou do adulto, ou qualquer outro objeto que o bebê eleger como seu. Esses itens são denominados de objetos de transição. Para a criança esse objeto substitui a mãe na sua ausência. Geralmente por serem macios e fofinhos, remetem ao bebê o colinho e aconchego que lhe são dados.
Geralmente por volta do oitavo ou nono mês de vida, o bebê percebe que ele e a mãe não são uma única pessoa, quando ela sai do local onde ele está sente sua falta e não raramente chora. Essa fase é também denominada de Angústia de separação e para superar a crise, deixa-se com o pequeno um objeto que represente para ele sua mãe, no caso a naninha. Permitir seu uso não deve ser fator de preocupação aos pais, pelo contrário, pois assim garante-se uma independência emocional futura do filho. Além de baixar a ansiedade quando a mãe não está presente, o objeto de transição ajuda o bebê a desenvolver a criatividade, imaginação, cognição e afetividade. A naninha está ali para cumprir uma função, e com o tempo é esperado que a própria criança comece a se interessar por outras atividades e passe a deixar o objeto de lado, os pais apenas devem ficar atentos quanto ao seu uso prolongado, pois pode representar uma dificuldade da criança em passar pelo seu processo de individualização. 
Mas em que momentos a naninha deve ser usada? O esperado é que seja nas sonecas da tarde e na hora do sono à noite, momentos em que o bebê sabe que ficará sozinho e que poderão lhe gerar uma certa insegurança.
A naninha deve ser lavada? O ideal seria que não, visto que o bebê identifica ali o cheirinho da mãe, entretanto por questões de higiene e saúde, deve-se sim lavar o objeto. Pode-se então conversar com a criança caso ela já tenha condições de entender o que está acontecendo, mesmo porque eles percebem a diferença quando o objeto retorna da lavagem, e combinar que ela escolha um segundo objeto enquanto o eleito está fora de uso. Sempre lembrando que quem fará a escolha é a criança e não um adulto. Aqui em casa por exemplo, as gêmeas têm uma naninha que prende no bico. Evito lavá-las, mas por vezes isso é necessário, então já tenho em casa uma segunda naninha. Não cumpre o mesmo papel da primeira mas já ajuda. Uma dica é que depois de lavada, a mãe fique um tempo com a naninha para que a criança reconheça nela novamente o seu cheiro.
É bom lembrar que nem todas crianças recorrem a algum objeto de transição, para elas apenas a presença da mãe já é o suficiente. 
E nunca, jamais, coloque fora ou esconda a naninha sem que a criança saiba e concorde com isso, pois acarretará na quebra de confiança dela com os pais. 

3 comentários:

  1. como faço para pedir uma naninha
    dessa de ovelinha bege?

    ResponderExcluir
  2. como faço para pedir uma naninha
    dessa de ovelinha bege?

    ResponderExcluir
  3. como faço para pedir uma naninha
    dessa de ovelinha bege?

    ResponderExcluir