sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Minha vida com gêmeos: como se organizar em 5 passos

Passado o susto de que eu teria gêmeos, passei a preparar e organizar a vida e a casa para a chegada das minhas pacotinhas. Algumas coisas aprendi na marra, outras já faziam parte do meu dia a dia. Lembrando que são pequenas dicas que valem também para mamães grávidas de um bebê, três, quatro...

 1. TENHA UMA ROTINA BEM ESTRUTURADA
Que ter um filho muda nossa vida do avesso não é novidade. Agora imagine isso com dois ou mais. É importante que você e as pessoas que vivem e trabalham na sua casa tenham uma rotina bem determinada. Não estou falando de regime militar, longe disso, mas saber o que vai acontecer em seguida, conforta não somente a todos adultos, mas principalmente os bebês. Um casal que um dia almoça 15 horas, no outro não almoça, no seguinte às 18 horas e acaba com isso nem jantando, vai enlouquecer. Parece dica de nutricionista mas ajuda, crie e tente na medida do possível fixar horários para a alimentação, não só dos bebês, mas de toda família.
Agora a hora que deve ser mais respeitada possível, é o momento do banho dos gêmeos. Quando muito pequenos, os babies não tem uma rotina muito regular, funcionamos em função deles, e esse mamães, é o único momento do dia que vocês é que determinam. Então diria que essa é a dica de ouro: a hora do banho é a hora mais sagrada do dia.  

2. ORGANIZAÇÃO COMO HÁBITO
Sempre fui organizada com as minhas coisas, com as da casa nem tanto, já que meu marido se encarrega disso. Saber onde estão todas suas coisas, facilitará e muito sua vida pós parto. Se você adquirir esses hábitos, conseguirá colocá-los em prática com os itens dos seus filhos também. Já dizia minha vó "o preguiçoso trabalha dobrado", e quando temos gêmeos não podemos nos dar ao luxo de perder tempo procurando por algo que não está no devido lugar. Um exemplo de como a organização me ajudou? Com 32 semanas de gestação tive uma complicação e tive que fazer repouso absoluto! Já tinha iniciado a arrumação das roupinhas, mas não tinha quase nada passado. Apenas lavado, e separado por tamanho e estilo. A moça que trabalhava aqui em casa só ia seguindo minhas orientações, pois eu sabia exatamente onde estava tudo. É importante adquirir uma lógica ao organizar as coisas, no meu caso, separei as roupinhas por tamanho e estação e dentro desse critério ainda separei por calças, bodies, camisetas, macacões...

3. CONTRATE PROFISSIONAIS
A mamãe aqui achou que cuidar de gêmeos não seria uma tarefa tão difícil assim. E meu marido entrou na onda da super mulher e também achou que eu daria conta. Sendo assim, ainda grávida, conversei com uma pessoa que já era de minha confiança, para que ela ficasse de babá por meio turno. No fim das contas, ela não pode assumir o compromisso. Eu fiquei desesperada, mas no fim depois de muitas trocas, uns dias sozinha, uns dias com as vovós, eu achei uma babá que fica comigo turno integral de segunda a sexta e temos também uma babá para a noite 4x na semana. Exagero? Não. Se tratando de gemelares tudo é grandioso, inclusive a folha de pagamentos. Então para não ter que sofrer na prática como eu, aprenda comigo e siga essa dica: ainda na gestação, já procure por uma babá que possa trabalhar com você o dia todo.  E eu garanto, não vai ser tão fácil assim, mesmo que você recorra a uma agência. E quanto a babá da noite, é um luxo? Diria que não, é uma necessidade. Com um bebê, a mãe já dorme muito pouco, com dois ou mais praticamente não se dorme nada! Até os filhotes regularem bem o sono e diminuírem as mamadas, o deita e levanta se torna muito exaustivo e sacrificante, e quando o dia amanhece não temos energia para nada. Sendo assim, para quem puder eu recomendo e muito uma pessoa para ajudar durante a noite.

4. ACEITE AJUDA
A gente acha que é e tenta bancar a super mulher, mas a verdade é que chega uma hora que não aguentamos mais, e quem mais sofre com isso são os próprios bebês. No começo minha mãe vinha aqui em casa e dizia para eu ir dormir que ela cuidaria das meninas, mas ficava sem jeito, não queria dar trabalho à ela, afinal quem fez os filhos foi eu e não ela. Mas hoje eu digo, se alguém se oferecer nem que seja meia horinha para cuidar dos bebês para você poder dormir, ou fazer alguma outra coisa, aceite! Enquanto estava na minha saga em busca de uma babá, me mudei por uns dias para a casa da minha mãe, lá ela me ajuda o tempo todo, fazia as entrevistas lá mesmo, e vamos combinar, mãe é mãe e às vezes tudo que precisamos é de um colinho ao invés de só dar colinho. Minha sogra também ajuda com as meninas, e as dindas são uma mão na roda! Aqui na família temos um combinado, se meus pais viajam, meus sogros ficam na cidade, ou o contrário. O que evitamos que aconteça é de os quatro viajarem ao mesmo tempo. Se você tiver sua família por perto, é uma combinação que recomendo. A dica então é: reconheça que você vai precisar sim de ajuda e não negue quando esta for oferecida.

5. PROGRAME O FUTURO
Antes de engravidar já tinha combinado com meu marido que me dedicaria ao primeiro ano de vida do bebê exclusivamente. Se tratando de gêmeos então, mais ainda. Como pretendemos colocá-las na escolinha ao completarem um ano, quando estava grávida já coloquei o nome delas na lista de espera do local que escolhi. Se também pretende colocar seus filhos em creche ou escolinha, sugiro que ainda durante a gravidez se informe sobre alguns locais, aproveite para conhecê-los e se for o caso, já coloque o nome na lista de espera. Assim você já ganha tempo e garante que terá vaga para quando precisar. Se deixar para fazer isso depois que os pequenos nascerem, você corre o risco de não conseguir fazer tudo como gostaria. Se optar por deixar os bebês em casa, se assegure que terá alguém em quem confie para lhe ajudar nessa tarefa. Se você tiver que voltar a trabalhar logo após o fim da licença maternidade, dificilmente uma única babá dará conta do recado, mesmo porque uma pessoa cuidando de dois ou mais bebês totalmente dependentes não resulta em saldo positivo para nenhum dos lados. Pense nisso! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário