quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Odontologia para gestantes: pré-natal odontológico

Quando uma mulher coloca nos seus planos que deseja engravidar, sabe que uma série de cuidados devem ser tomados antes, durante e depois da gravidez.
Entretanto o que poucas sabem é que uma visita ao dentista também deve ser agendada evitando assim, incômodos desnecessários nesse período tão especial! Hoje estreia a coluna Odontopediatria com a Mariana, e ela começa nos falando sobre esses cuidados que as futuras mamães devem ter.
ODONTOLOGIA PARA GESTANTES: pré-natal odontológico
Olá mamães! Primeiramente gostaria de me apresentar. Eu sou Mariana Ilha, Odontopediatra, ainda não sou mãe, mas sempre me encantei pelo mundo dos pequenos. Eu sou apaixonada por crianças, e amo muito o que faço. Eu vou tentar abordar alguns temas aqui sobre a Odontopediatria, que eu acho que são de utilidade para as futuras mamães, as que já são, têm filhos pequenos ou nem tanto assim. Estou à disposição para dúvidas, perguntas e sugestões. Hoje vamos falar sobre a prática odontológica para as gestantes, os cuidados que devem ser tomados, e tirar algumas dúvidas que considero frequentes.
Muitas vezes, ao engravidar, as mamães acabam descuidando delas mesmas em relação à saúde bucal. Isso ocorre principalmente por estarem tão ligadas a todas as novidades que envolvem o bebê mês a mês, tantos planos para fazer, providências a tomar, que acabam esquecendo-se delas mesmas. Na Odontopediatria, nós trabalhamos de forma preventiva com crianças e adolescentes, mas antes disso, trabalhamos com as mães e as famílias, para modificar os hábitos e ajudar a introduzir no bebê bons hábitos de higiene e dieta. A saúde bucal do bebê depende diretamente das condutas de higiene adotadas pela mãe, por isso é tão importante que os hábitos saudáveis sejam bem desenvolvidos.
Com frequência há gestantes que acham que os problemas na boca ocorrem pela sua condição, mas na verdade, as alterações hormonais apenas agravam problemas pré-existentes. As principais alterações são relacionadas à gengiva, como a gengivite e a doença periodontal, que se agravam devido à presença de bactérias. O ideal seria que antes de engravidar, a futura mãe fosse ao dentista fazer uma revisão para garantir que os procedimentos mais invasivos sejam resolvidos antes do bebê estar em formação. E depois apenas acompanhasse sua saúde junto ao dentista.
A principal aliada das mamães para um bom desenvolvimento dos bebês é a dieta equilibrada. Os dentes do bebê começam a se formar entre a 5ª e a 6ª semana de vida intra-uterina e eles dependem diretamente da boa conduta de alimentação. Ao evitar ingerir refrigerantes e carboidratos, a gestante estará, ao mesmo tempo, diminuindo a formação de placa bacteriana e cuidando do desenvolvimento do filho e da sua saúde. É importante ressaltar que o cálcio dos dentes da mãe NÃO passa para os dentes do filho, ele é passado pela alimentação, que quando inadequada, virá dos reservatórios ósseos da mãe. Ou seja, não haverá perda de conteúdo mineral dentário da gestante na gravidez.
Com a gravidez, a mãe modifica a sua dieta, aumenta a ingestão de calorias, consumindo mais alimentos entre as refeições, até mesmo para diminuir a ansiedade ou as náuseas. Acabam preferindo alimentos ácidos, desestabilizando o pH da saliva, da mesma forma que os vômitos, ajudando no aparecimento das cáries. Esse fato deve ser levado em consideração para uma maior atenção e visitas mais frequentes ao dentista, para realizar ações preventivas.
Sendo assim, os cuidados com a higiene bucal devem ser intensificados, com escova macia, regularmente utilizada com pasta fluoretada, associado ao uso de fio dental. Quando esses cuidados falham, a mãe pode precisar de atendimento durante a gravidez, e esse fato gera muita preocupação para elas. Na verdade, a gestante pode e deve receber atendimento odontológico, em qualquer época da gestação, pois o estresse da dor é mais preocupante do que o procedimento que será realizado. Claro que terão cuidados especiais, as consultas deverão ser mais rápidas, cuidando o posicionamento da cadeira, e de preferência pela manhã, evitando o período mais frequente dos enjoos. O que deve ser evitado no primeiro trimestre são as radiografias, mas se for muito importante, após esse período, basta utilizar o avental de chumbo para proteção.
Portanto, é importante fazer visitas mais frequentes ao dentista, para que possa haver o diagnóstico precoce de alguma condição irregular, realizando procedimentos menos invasivos durante a gestação, e permitindo a orientação correta sobre a higiene da mãe e do bebê que está por chegar. Além disso, o vínculo criado entre a mãe e o Odontopediatra, é fundamental para quando o bebê nascer, existir confiança entre eles, tornando mais fácil aceitar orientações de higiene e dieta para a criança, já que estão sendo passadas há mais tempo, a mãe já incorporou a maioria delas, sem mudanças radicais, principalmente nos primeiros meses que existem tantas adaptações a serem realizadas com a chegada dos pequenos. Espero que tenham gostado desse primeiro tópico! Até a próxima! Beijos!
Mariana Ilha é formada em Odontologia pela PUCRS, fez especialização em Odontopediatria na UFRJ e é mestranda na ULBRA. Atualmente tem consultório em Passo Fundo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário