quarta-feira, 27 de agosto de 2014

O dia em que me tornei mãe

Nada melhor do que começar esse blog sobre maternidade contando um pouquinho sobre o dia que me tornei mãe.
Que menina nunca brincou de casinha, que já fez das bonecas suas filhas de mentirinha, são raras as que não. Pois é, desde criança sonhava com o dia que teria meus pacotinhos nos braços e uma certeza eu tinha, queria ter filhos antes dos 30. Na virada de 2012 para 2013 disse pro maridão: a partir de agora, tá liberado! Seja o que Deus quiser. Já tinha consultado minha GO, feito todos exames necessários para saber se estava tudo ok com a saúde, portanto era só partir pra ação.
Estava tão despreocupada (dizem que o negócio é relaxar), achando que levaria no mínimo um ano que nem considerei a possibilidade de que engravidaria tão rápido. Sim, em questão de poucos meses minhas pacotinhas já estavam a caminho. A gente desconfia né? Deve ser instinto, sei lá... Meu aniversário estava próximo daí pensei, vou me dar esse presente! No dia do meu aniversário eu faço um HCG. Isso seria numa segunda, mas quem disse que a pessoa aguentou esperar? Num sábado antes, tendo certeza absoluta de que então não estaria grávida, resolvi sair e fui no super. E o que tinha do lado do lado do super? Sim, uma farmácia. Olhei, pensei, e resolvi ir até lá comprar um desses testes de farmácia. Fui para casa com minhas compritchas de baixo do braço, arrumei tudo e olhei para o tal teste, afinal quem está na chuva é para se molhar.
Caraca! O resultado demorou segundos, ou seja, não tinha como estar errado: POSITIVO!
Nesse momento eu me tornei mãe!
A partir daquele instante, ao ver aqueles tracinhos soube que minha vida iria mudar, tomar outro rumo, adquirir um novo sentido para tudo! A pessoa aqui tremia mais que vara verde! Ao mesmo tempo que esse momento era o mais desejado da minha vida, junto dele o peso da responsabilidade o acompanhava. Acho que eu já estava prevendo que uma grande e dobrada responsabilidade estava a caminho...
Que preparar o ambiente para contar para o futuro papai que nada, tomada pela empolgação fui correndo contar para ele. Mostrei a canetinha com o resultado dando risada e já imaginando a felicidade que ele ficaria, afinal era algo que nós dois desejávamos.
Pausa para uma observação: como assim os homens não sabem o que é um teste de gravidez?!?!?! Deveriam ensinar isso para eles, pelo menos evitaria que eles fizessem a cara que o meu marido fez quando mostrei à ele o teste. Que cara foi? Cara de quem não faz nem ideia do que está vendo.
Voltando, depois que expliquei o que era, vi surgir um sorriso de alegria no rosto dele que nunca vi igual. Nos abraçamos em meio a lágrimas. Ambos transbordávamos felicidade! A partir daquele dia nunca mais seríamos só nós dois, em breve seríamos quatro. Mas isso fica para um outro post.

Nenhum comentário:

Postar um comentário