quinta-feira, 28 de agosto de 2014

E nasce um bebê

Não seria interessante se pudéssemos ouvir do próprio bebê o que ele está achando dos seus primeiros minutos de vida?
Como isso não é possível, só nos resta ficar na curiosidade e ver no post de hoje o que a queridíssima Eleonor escreveu sobre o que acontece com o baby no momento do parto. Boa leitura!
Ah! Já adianto: eu estava tão grogue da anestesia que infelizmente não me lembro do primeiro choro das meninas, e olha que tentei me concentrar.
E NASCE UM BEBÊ 
Está quase na hora. O bebê está quase chegando!
A futura mamãe se preparou o melhor possível. O quarto do novo integrante da família está arrumado e muito lindo; as roupinhas estão lavadas, passadas e cheirosas (lembrou de retirar as etiquetas plásticas? Elas irritam a pele delicada do bebê); a mamãe leu tudo o que conseguiu sobre partos, amamentação e cuidado de recém-nascidos, e sempre tem alguém para dizer que ela ainda não leu o mais importante; todas as parentes, amigas e conhecidas já vieram conversar, dar conselhos e sugestões, e cada sugestão parece completamente oposta à anterior... Sim, mamãe, você está pronta!
E de repente o dia chegou, hospital, preparativos, muitas enfermeiras sorridentes, seu(sua) obstetra, sala de parto e, seja de parto normal ou cesáreo, eis que nasceu o seu bebê!
Primeira surpresa: noooosa, ele não se parece com os recém-nascidos das novelas e filmes! Ele é enrugado, está na maior careta por causa do choro, e não é cor de rosa! Está tudo certo com ele?!
Sim, mamãe, está tudo muito certo com ele! Seu bebê é um bebê de verdade, não um bebê cenográfico que, na maior parte das vezes, já “nasce” com uns dois meses de idade!
A maior parte dos bebês não nasce cor de rosa. Nascem com uma cor mais escura, meio roxa até, e ficam rosados depois de chorar e colocar os pulmões para funcionar. Aqui, uma observação: mãozinhas e pezinhos vão continuar com uma cor diferente por diversos dias, às vezes até durante todo o primeiro mês. Isto acontece porque a circulação nas extremidades do bebê é mais lenta, o que deixa mãos e pés menos rosados e mais frios. Pergunte ao seu pediatra se está tudo ok, mas não se preocupe: é assim mesmo. Voltando ao seu bebê recém-nascido, ele vai ficar rosado depois de alguns minutos; normalmente, não mais do que cinco minutos. E vai chorar forte, muito forte. Por que os bebês choram ao nascer? Pelo mais simples dos motivos: porque eles SABEM que precisam chorar!
Se o seu bebê não nasceu ainda, e se, na hora, você puder, preste atenção ao primeiro choro. Não há outro igual. Seu bebê nunca mais vai chorar da mesma maneira novamente. É algo meio choro, meio grito, muito intenso e potente, que tem uma utilidade específica: literalmente abre os pulmões do bebê e inicia a respiração. Não é um choro de dor. É um choro de vida!
Faça a experiência: pegue duas lâminas de vidro, umedeça-as com um pouco de água e coloque uma sobre a outra. Agora, tente separá-las. Vai descobrir que é uma missão quase impossível, porque a tensão da água “cola” uma placa de vidro na outra, impedindo que se afastem. Normalmente, para separá-las, é necessário escorregar uma placa sobre a outra e puxar pelo lado.
Assim são os pulmões do seu bebê, no nascimento: duas “placas” de tecido macio encostadas uma à outra, com um pouco de líquido amniótico no meio. Precisa muita força, MUITA mesmo, para separá-las e permitir a primeira inspiração. O grito, o choro, forçam o ar a entrar nos pulmões, o ar separa as “placas” de tecido, e é só então que o bebê começa a respirar. É por isso que este choro é único e nunca mais se repete: a situação também é única, jamais vai se repetir. A maior parte dos bebês chora ao natural, com ótima goela e muita disposição. Alguns precisam ser estimulados, e não entenda a velha palmada nisto! Quando o pediatra leva seu bebê para o primeiro atendimento, o bebê é enxugado vigorosamente e, quase sempre, este estímulo tátil é suficiente para desencadear o choro e a respiração.
Sobre os primeiros minutos de um recém-nascido, quando ele é levado até sua mãe, mais algumas observações:
– O sangue que está sobre a pele dele é seu, decorrente da cesárea / parto;
– Ele está de olhos fechados porque é muita luz para quem sempre viveu no escuro. Muitas equipes diminuem a intensidade da luz na hora do nascimento, mas, mesmo assim, continua sendo muita luz. Aliás, médicos não conseguem trabalhar no escuro...
– Muitos bebês nascem cobertos por uma substância branca e escorregadia semelhante a manteiga. É o vérnix e serve para proteger a pele do bebê dentro do útero. Uma parte dele vai ser absorvida pela pele, o restante vai ser retirado no banho. É normal também.
E, como o post está ficando muito grande, vou deixar você olhando e se apaixonando pela carinha do seu recém-conhecido bebê, que é, com certeza, o mais lindo do mundo!
Continuamos na quinzena que vem! Beijos e até lá!
Eleonor Hertzog é mãe da Anelise, do Augusto e do Alexandre e é vovó coruja do Arthur. Pediatra, já atuou em uma Unidade Neonatal e em Unidades de Saúde. Atualmente atende em consultório e nas horas vagas é escritora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário